meistudies, 6º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - A consolidação dos seres media

Tamanho da fonte: 
REVOLUCIONANDO O CICLO: EXPLORANDO A DIGNIDADE MENSTRUAL E A SUSTENTABILIDADE COMO CAMINHOS PARA A PAZ SOCIAL
Karine Nunes Tavares, Isadora da Silva Prestes, Caroline Kraus Luvizotto

Última alteração: 2023-10-23

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)


Inúmeros são os contextos de desigualdade social no Brasil, incluindo aqueles relacionados à precariedade menstrual. Um estudo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) intitulado “Pobreza Menstrual no Brasil” revelou que 713 mil pessoas que menstruam não possuem acesso a banheiros e/ou chuveiros em suas residências, enquanto mais de 4 milhões não possuem acesso a produtos básicos de higiene menstrual. Neste sentido, é fundamental desenvolver estudos, políticas públicas e ações da sociedade civil que minimizem os impactos da precariedade menstrual para essas populações.

A UNICEF e a Organização das Nações Unidas (ONU), por exemplo, têm criado campanhas garantindo às mulheres a dignidade menstrual, o que significa ter acesso a produtos e condições de higiene adequados. No entanto, a forma como essas organizações abordam o problema é paliativa, baseada em ações não-duráveis e prejudiciais ao meio ambiente, pois utilizam absorventes descartáveis que demoram milhares de anos para se decompor, poluindo solos e rios e, na perspectiva dos Estudos para Paz, essa prática não se encontra em equilíbrio. Diante deste contexto, apresentamos uma pesquisa diagnóstica a partir das teorias do ecofeminismo e dos Estudos para a Paz, a fim de discutir as ações das organizações ONU e UNICEF, e destacar formas eficazes e permanentes de garantir a dignidade menstrual e evitar ações danosas ao meio ambiente.

 

Metodologia

Com o propósito de alcançar o objetivo desta pesquisa, foi conduzida uma investigação diagnóstica com o intuito de identificar oportunidades de aprimoramento nas ações relacionadas à dignidade menstrual realizadas pela ONU e UNICEF. O foco da pesquisa foi encontrar abordagens efetivas e sustentáveis, ancoradas nos preceitos do ecofeminismo,  para garantir a dignidade menstrual e evitar impactos ambientais adversos.

 

Resultados e Discussões

O ecofeminismo é uma corrente de pensamento que busca estabelecer uma interconexão entre a opressão de gênero e a degradação ambiental, com base na compreensão de paralelos existentes entre a exploração da natureza e a subordinação das mulheres na sociedade (Shiva, 1995; Shiva, 2004; Siliprandi, 2000). Nessa perspectiva, reconhece-se que tanto as mulheres quanto o meio ambiente são submetidos a tratamentos similares por meio de estruturas de poder patriarcais e capitalistas. (Arruza, et al. 2019). Além disso, o arranjo socioeconômico capitalista exerce violências sobre os indivíduos em situação de vulnerabilidade, haja vista que as disparidades econômicas e sociais latentes na estrutura social facultam a um reduzido segmento populacional o controle de uma significativa parcela de poder, ao passo que a esmagadora maioria é relegada à periferia (Cavalcante, 2020). Nesse sentido, a pobreza menstrual é uma violência que acarreta corpos que menstruam que acabam à margem, impedidos de suas tarefas pela falta de acesso a itens básicos de higiene adequados.

Para além, é importante ressaltar que os absorventes descartáveis são geralmente compostos por plástico, algodão e gel, tendo um núcleo “constituído por uma tecnologia capaz de absorver o fluxo menstrual, prometendo segurança às pessoas que menstruam” com fortes impactos ao meio ambiente (Souza, 2022, p.17)..

A utilização desses materiais é uma alternativa prejudicial ao meio ambiente (Weber, 2023; Souza, 2022). Visando soluções sustentáveis ao meio ambiente e produtos mais duráveis surgiram outras alternativas de absorventes como coletores menstruais, discos menstruais, calcinhas absorventes e absorventes de pano, por exemplo, alternativas essas consideradas mais ecológicas, duráveis e econômicas, enquadrando-se em uma perspectiva ecofeminista.

 

Conclusões

A troca de absorventes descartáveis por opções reutilizáveis é uma medida significativa para promover a sustentabilidade, reduzir a quantidade de resíduos plásticos descartados, preservar os recursos naturais e evitar que comunidades carentes voltem à situação de vulnerabilidade menstrual. Destaca-se ainda a importância de uma abordagem ecofeminista na busca pela diminuição das agressões ao meio ambiente e às pessoas que menstruam, especialmente aquelas pertencentes a comunidades mais vulneráveis, que sofrem maior impacto das desigualdades resultantes do sistema capitalista.

Além disso, é importante ressaltar que a substituição de absorventes descartáveis por opções reutilizáveis representa um passo pequeno, porém significativo, na conscientização, com o objetivo de reduzir os danos ao meio ambiente e diminuir as desigualdades, especialmente em relação à pobreza menstrual. Essa mudança contribui para a construção de um futuro mais sustentável, em que a preservação ambiental assume um papel prioritário na garantia da qualidade de vida das atuais e futuras gerações.

 

Referências

Arruzza, C. et al. (2019) Feminismo para os 99%: um manifesto. Boitempo.

Cavalcante, P. L. C. (2020) A questão da desigualdade no Brasil: Como estamos, como a          população pensa e o que precisamos fazer. IPEA.

Shiva, V. (1995). Abrazar la vida. Mujer, ecología y supervivencia. Horas y Horas.

Shiva, V. (2004). La mirada del ecofeminismo. Revista Latino-americana, 9, 1-10.

Siliprandi, E. (2000). Ecofeminismo: contribuições e limites para a abordagem de políticas          ambientais. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável,  1, 61-71.

Souza, M. G. M. (2022). Percepções acerca do uso dos absorventes convencionais             descartáveis e absorventes ecológicos de pano. [Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas].

Weber, J. (2023, 03 de fevereiro). Os impactos dos absorventes descartáveis para o meio             ambiente. UFSM. https://www.ufsm.br/unidades-universitarias/ccne/2023/02/03/os-impactos-dos-absorventes-descartaveis-para-o-meio-ambiente.

 

 

 

APRESENTAÇÃO


Palavras-chave


Dignidade Menstrual. Ecofeminismo. Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF - pt