meistudies, 6º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - A consolidação dos seres media

Tamanho da fonte: 
Comunicação e Democracia: as relações entre mídia e cidadania no Brasil e na Alemanha
Caroline Kraus Luvizotto, Jairo Faria Coelho, Ana Beatriz Lemos, Kalianny Bezerra

Última alteração: 2023-10-22

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)


No campo da comunicação, não apenas entre o Brasil e a Alemanha, mas abrangendo Europa e América Latina, a expansão da tecnologia digital tem representado um desafio significativo para a mídia. Esse desafio envolve a busca por um modelo de qualidade que contemple a produção, distribuição e acesso à informação. Estudos nesse campo indicam um alto grau de concentração da propriedade da mídia, tentativas governamentais de interferir no conteúdo divulgado e pouca responsabilidade por parte de empresas de comunicação e governos. Um risco iminente para a liberdade de expressão em países como o Brasil reside no paralelismo político existente entre os interesses compartilhados pelos proprietários de mídia e grupos políticos. A Europa também não escapa das dificuldades que afetam a relação entre comunicação e democracia. Alguns temas urgentes incluem a liberdade de expressão de refugiados e migrantes, bem como os desafios enfrentados pelo sistema de comunicação pública. No cenário brasileiro e alemão, podem-se identificar problemas comuns, como a credibilidade da mídia cada vez mais questionada, a falta de confiança no sistema democrático, a escassez de recursos para os sistemas públicos de radiodifusão e o papel da mídia no fortalecimento da vida cívica e no enfrentamento do déficit de responsabilização pública de governos democráticos perante o público. Este estudo pretende contribuir para a reflexão sobre as relações entre mídia e cidadania no Brasil e na Alemanha, compreendendo a responsabilização da mídia e serviço público de radiodifusão; acesso à internet e neutralidade da rede; e direito à informação e transparência. Trata-se de uma contribuição teórica construída a partir de referências importantes para o debate como Dahlgren (2005); Maia (2008); Castells (2018); Darbishire, H. (2010); Fengler et al., (2015); Dardot; Laval (2016, 2017); Luvizotto; Sena (2022); Coelho (2019). Foi utilizada a metodologia da Revisão Sistemática da Literatura (RSL) a partir dos protocolos descritos por Galvão e Ricarte (2019). Foram consultadas bases de dados nacionais e internacionais, disponibilizadas pela universidade alemã Technische Universität Dortmund e pelas universidades brasileiras Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade de Brasília (UNB) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). As buscas incidiram sobre temas estrategicamente selecionados nas áreas da Comunicação, da Sociologia e da Ciência da Informação e priorizaram publicações a partir dos anos 2000, com ênfase a partir dos anos de 2010, o que não menosprezou obras clássicas datadas de períodos anteriores. Aprofundar o entendimento sobre a relação entre mídia e cidadania é essencial para o desenvolvimento de sociedades democráticas, onde o direito à informação e a responsabilização da mídia são pilares fundamentais na construção de uma sociedade mais justa, participativa e inclusiva. Parte das reflexões apresentadas neste texto integram pesquisas realizadas no Programa de Cooperação Internacional (Probral), financiado pela Capes – Agência Federal de Apoio e Avaliação da Pós-Graduação do Ministério da Educação do Brasil (Proc. PROBRAL 88887.806077/2023-00).

 

 

Referências

Castells, M. (2018). Ruptura: a crise da democracia liberal. Rio de Janeiro: Zahar.

Coelho, J.F.G. (2019). Ombudsman e Comunicação Pública no Brasil e Portugal. Tese de Doutorado. Brasília: Universidade de Brasília. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/35794.

Dahlgren, P. (2005). The Internet, Public Spheres, and Political Communication: Dispersion and Deliberation. Journal Political Communication, vol. 22. pp. 147-162.

Darbishire, H. (2010). Proactive transparency: the future of the right to information? Washington, DC: World Bank Institute.

Dardot, P., & Laval. C. (2016). A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo.

Dardot, P., & Laval. C. (2017). Comum: ensaio sobre a revolução do século XXI. São Paulo: Boitempo.

Fengler, S., et al. (2015). How effective is media self-regulation? Results from a comparative survey of European journalists. European Journal of Communication 30(3), 249-266.

Galvão, M. C. B., Ricarte, & I. L. M. (2019). Revisão sistemática da literatura: conceituação, produção e publicação. Logeion: Filosofia da Informação, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 57–73.

Luvizotto, C. K., & Sena, K. E. R. (2022). Cidadania Digital e tecnologia em rede: entre comunicação, algoritmos e aplicativos cívicos. Liinc em Revista, v. 18, n. 2, e6070, nov. p. 01-18.

Maia, M. R. (2008). A regra da transparência como elemento democratizador no processo da produção jornalística. Brazilian Journalism Research, v.1, n. 1, p. 132-152.


Palavras-chave


Comunicação; Cidadania; Democracia; Brasil; Alemanha

Texto completo:

PDF - pt