meistudies, 6º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - A consolidação dos seres media

Tamanho da fonte: 
A inclusão digital e a presença das novas tecnologias da comunicação em comunidades
Tatiane Eulália Mendes de Carvalho, Vicente Gosciola

Última alteração: 2023-10-19

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)


O geógrafo Milton Santos (2021, p. 35) diz que na história da humanidade nunca houve tanta tecnologia e técnica que proporcionasse possibilidades de tempo e espaço de forma instantânea, simultânea e real como a convergência promove na sociedade. Porém, ressalva que a informação rápida e globalizada não é disseminada e veraz "porque atualmente é intermediada pelas grandes empresas da informação" (Santos, 2021, p.36). A aldeia global, em tempo real, é localizada nos centros sociais, excluindo aqueles que estão nas periferias. E convergência das mídias acontece de acordo com a realidade de cada região e a técnica é isolada devido a limitação geográfica, pois nem tudo é acessível e consegue chegar de forma igualitária. A convergência cultural e midiática permitiu o nascer de novas comunidades sociais, dando espaço e lugar para novos atores sociais para apresentar culturas regionais e locais que poderiam até estar escondidas, dando visibilidade ao invisível e permitindo o compartilhamento de músicas, áudios, vídeos, textos e fotos. Jesús Martín-Barbero (2014), neste contexto, destaca que a falta de política pública na América Latina faz com que o acesso a tecnologias e técnicas esteja disponível somente aos centros urbanos, onde se concentram as pessoas com (mais) poder aquisitivo de consumo tornando, assim, a inclusão digital excludente aos que vivem fora do espaço central e do poder econômico. E muitos contam com apoio de entidades e projetos sociais para que possam ter acesso a conhecimento e ferramentas. De acordo com a TIC Domicílios (2022), 20% da população brasileira não tem acesso a internet, sendo que 40% são das Classes C, D e E. A presente pesquisa tem como objetivo compreender a dimensão da inclusão ou da exclusão digital de comunidades periféricas do Vale do Paraíba Paulista e a presença das novas tecnologias da comunicação naquele espaço social. O estudo tem como recorte as cidades de São José dos Campos, Taubaté e Guaratinguetá, que são as três maiores cidades da região, localizada no estado de São Paulo. A pesquisa parte da hipótese de que, mesmo sendo uma região desenvolvida economicamente e socialmente, ainda há exclusões de acesso à tecnologia, informação, comunicação, cultura e educação, principalmente em bairros periféricos. Trata-se de uma pesquisa atenta a inclusão digital, as novas tecnologias da comunicação e mobilidade dos espaços urbanos. A investigação tem como metodologia um estudo de caso sobre a presença digital e das novas tecnologias da comunicação nas comunidades periféricas do Vale do Paraíba Paulista, com as técnicas de pesquisa bibliográfica prescrutando os conceitos de Tecnologia (Pinto, 2005), de Comunicação na América Latina, de Inclusão Social e Digital, de Globalização Urbana (Santos, 2013; 2021), de Periferia e Subcidadania (Kowarick, 2009), de Convergência (Pool, 2013; Jenkins 2009), e documentação e entrevista em profundidade com os moradores das comunidades para compreender a realidade local. Com a investigação, entendeu-se que a inclusão digital acontece, principalmente com o avanço tecnológico, porém as regiões periféricas ainda sofrem com o isolamento social, econômico, cultural e educacional, o que impacta negativamente a todo e qualquer tipo de inclusão. Compreendeu-se, também, que há falta de políticas públicas e incentivos aos cidadãos à margem da sociedade, vivendo e trabalhando em comunidades periféricas.

 

Referências

 

Bosi, Ecléa. (2000). Cultura de massa e cultura popular: leituras de operárias. 10º ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes.

Castells, M. (2015) O poder da comunicação. Paz&Terra: São Paulo / Rio de Janeiro.

Cazeloto, E. (2019). Inclusão digital: uma visão crítica. São Paulo: Senac.

Davis, M. (2006). Planeta Favela. São Paulo: Boitempo Editorial.

Jenkins, H. (2009). Cultura da convergência. Editora Aleph.

Kowarick, L. (2009). Escritos urbanos (2ª ed.). Editora 34.

Martín-Barbero, J. (2014). Diversidade em convergência. MATRIZes, 8(2), 15-33.

Martín-Barbero, J. (2015). Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 7º ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Pinto, A. V. (2005). O conceito de Tecnologia. Editora Contraponto.

Pool, I. S. (2013). Technologies of Freedom. Harvard University.

Santos, M. (2002). O espaço do cidadão. São Paulo: Studio Nobel.

Santos, M. (2021). Por uma outra globalização. 32º ed. Rio de Janeiro: Record.

Santos, M. (2013). Pobreza urbana. 2º ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

 


Palavras-chave


Convergência Midiática; inclusão social; novas tecnologias da comunicação; comunidades periféricas;

Texto completo:

PDF - pt

Comentários sobre o trabalho

Visualizar todos os comentários