meistudies, 6º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - A consolidação dos seres media

Tamanho da fonte: 
Letramento Midiático Crítico: culturas, projetos e transformação
Leandro Marlon Barbosa Assis, Alexandre Farbiarz

Última alteração: 2023-10-11

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)


Neste artigo, empreendemos um processo reflexivo que a presente pesquisa se propõe no nível teórico e prático. Para tal, ressaltamos a importância de debates qualificados sobre os cotidianos escolares para identificar mecanismos de resistência dos educadores e as disputas inseridas em tais enfrentamentos, que podem ser sintetizadas entre os interesses externos e os interesses internos ao espaço escolar. Ao fim, pautados nos escritos de Lefebvre, identificando as forças da cotidianidade que direcionam as propostas pedagógicas e as práticas do fazer pedagógico, buscaremos a intencionalidade enquanto mecanismo essencial para a execução de um Letramento Midiático Crítico (LMC) que almejamos enquanto acepção teórica de análise. Assim, cremos que o percurso indicado permite refletir sobre as definições e aplicações possíveis ao LMC de modo a examinar inúmeras propostas que se apropriam de elementos técnicos que não se apoiam em práticas reflexivas que transformem o cotidiano, estando alinhadas à cotidianidade. Ao aprofundarmos nossa compreensão sobre os aspectos característicos da realidade vivenciada pelos sujeitos e os processos comunicacionais praticados no cotidiano escolar, podemos entender como as técnicas midiatizadas são introduzidas através das intencionalidades da cotidianidade na vida cotidiana, que se associa aos processos de controle econômico, cultural e social vinculados à valores hegemônicos. Adotamos, então, uma perspectiva teórica que forneça uma alternativa aos interesses hegemônicos presentes no cotidiano, propondo uma abordagem que rompa com as formas tradicionais de pensar. Nosso objetivo é aplicar esse processo de pensamento à realidade material dos sujeitos, buscando uma adaptação e ressignificação que possa ser replicada nos cotidianos escolares. Dessa forma, propomos, orientados nos escritos de Andrew Feenberg e Neil Selwyn, superar a ideia de que os objetos tecnológicos recebidos nas escolas representam inovação ou transformação e oferecer uma abordagem de letramento que considere os contextos e mecanismos de poder que se vinculam a esses objetos, permitindo uma manipulação intencional e consciente no interior dos cotidianos escolares. Tal proposição permite um avanço aos objetivos que elencamos ao LMC que buscamos. O recorte de pesquisa apresentado tem como objetivo principal uma revisão de literatura e a exploração do conceito de LMC fundamentado em discussões sobre letramento, cultura e ideologia. O estudo parte da compreensão bakhtiniana da polifonia e da dialogia, buscando ampliar o conceito tradicional de letramento, que se limita às habilidades básicas de leitura e escrita, e enfatizar sua relação intrínseca com a cultura e as práticas sociais, envoltas em processos ideológicos. Para embasar a proposta, são adotadas abordagens teóricas provenientes de autores como Henri Lefebvre, Magda Soares, Jay Lemke, Brian Street, Marcelo Buzato, Norman Fairclough e Paulo Freire. Tal seleção oferece perspectivas analíticas relevantes sobre o tema, especialmente na diferenciação entre modelos autônomos e ideológicos como Street propõe. Além disso, a pesquisa propõe uma análise prática dos textos baseada nas técnicas de Análise Crítica de Discurso (ACD) de Fairclough, com o intuito de compreender a complexidade do LMC no contexto escolar a partir do imbricamento das práticas sociais com as compreensões linguísticas. Os resultados e contribuições desse estudo são direcionados para avaliar o impacto do LMC enquanto um processo interacional, social, cultural e político. Ao realizarmos apontamentos sobre as definições e aplicações possíveis ao LMC, reforçamos que inúmeras definições se apropriam de elementos técnicos que não se apoiam em práticas reflexivas que transformem o cotidiano. Assim, elas tendem a apoiar a cotidianidade em seu projeto de consenso quanto aos usos, às inserções e apropriações de tecnologias e mídias nas escolas. Sem o questionamento ou resistência de setores públicos, os educadores acabam por serem alimentados por uma concepção de tecnologia instrumental e que os submete à racionalidade tecnocientífica em que sua oposição ou questionamento é refutado por debates rasos e em vias de uma posição conservadora ou não preocupada com uma educação ativa e engajada na transformação social. Assim, tomamos o LMC como sendo aquele capaz de desenvolver a capacidade de compreender e analisar criticamente as mensagens e influências da mídia em suas vidas de modo a municiar a projeção da superação de suas contradições materiais. A consciência de suas escolhas por meio de informações diversificadas permite um consumo capaz de engajar a participação nos debates públicos em perspectiva do desenvolvimento de uma formação tão formadora quanto informadora, como aponta Freire, em nome da superação das desigualdades postas como naturais.


Palavras-chave


Letramento Midiático Crítico; Discursos; Ideologia

Texto completo:

PDF - PT